#22: A abadia de Northanger de Jane Austen

#22: A abadia de Northanger de Jane Austen

Olá pessoal, no episódio desse mês falamos de “A abadia de Northanger” (1817) da musa inspiradora do Chá das Cinco com Literatura, Jane Austen.

Conversamos sobre o primeiro livro escrito pela autora, mas o último a ser publicado! Falamos sobre romance gótico e suas características como os personagens patriarcas abusivos; o sobrenatural representado por fantasmas, aparições e portas secretas; e finalmente sobre as heroínas desse tipo de narrativa. Muitos desses elementos permanecem ainda hoje no nosso imaginário, resultando em narrativas cinematográficas assim como outras obras literárias.

Livros citados:

  • O monge (1796), de Matthew Gregory Lewis.
  • O castelo de Ortranto (1764), de Horace Walpole.
  • Os mistério de Udolpho (1794), de Ann Radcliffe.
  • Rebbeca (1938), de Daphne du Maurier.

Música da nossa trilha sonora:

  • The Vampire Masquerade –  Peter Grundy
  • The Awakening – Peter Grundy
  • J. Garth: Op.1 n.4 / Concerto for violoncello – John Garth

Deixe seus comentários aqui pra gente. Sempre que acabamos de gravar, lembramos de algo mais que poderia ser dito, logo o tema sempre fica em aberto.

Podcast:

00:01:06 Apresentação
00:01:57 A abadia de Northanger
00:56:10 As adaptações
01:15:02 Outras indicações

Northanger Abbey (1987) https://www.imdb.com/title/tt0091649/
Northanger Abbey (2007) https://www.imdb.com/title/tt0844794/

One thought on “#22: A abadia de Northanger de Jane Austen

  1. Lilian

    Pois então gente, foi esse livro que abriu as portas pra mim do maravilhoso mundo do romance gótico moderno! Dele fui também pra Daphne du Maurier e agora tô nas rainhas do gênero, Mary Stewart e Victoria Holt. Muito bom! E na verdade esses são os ancestrais dos Sabrinas das bancas de revistas que acredito seja um gótico com uma pegada mais pornô soft (e é daí que vem o 50 tons de cinza, tem então uma geração entre esse troço e os maravilhosos góticos). Mas é muito diversão literária, sabe? Leitura fluida, fácil, sem compromisso e com todos os elementos que a gente gosta pra esquecer essa vida severina. Tá certo que não são lá essas obras primas literárias, mas como a Vivi disse, chega desse elitismo de literatura boa menosprezando o que seria literatura menor! Enfim, tenho me divertido muito! Leiam o The night of the seventh moon da Victoria Holt, tem conde alemão, Castelo com sala assombrada, conspiração, ciúmes e muito mais, ahahahah!

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *