#30: Norte e Sul de Elizabeth Gaskell

#30: Norte e Sul de Elizabeth Gaskell

Olá pessoal, no primeiro episódio do ano chegamos com “Norte e Sul” (1855) da Elizabeth Gaskell.

Esse romance social traz uma interessante discussão sobre a transição da Inglaterra industrial. Essa modernidade – o Norte – contrastando com a tradição – o Sul – e vemos os personagens às voltas lidando com muitas transformações, tanto de costumes como de mentalidades.

Passamos por temas como o movimento operário, a mulher no século XIX, o papel dos intelectuais e como os personagens são representativos das mudanças desse século.

Por fim, falamos sobre as adaptações e as suas diferenças e semelhanças com o livro!

Livros citados:

Música da nossa trilha sonora:

  • Open Theme 3 – Martin Phipps. Original Soundtrack “North and South” (2004)
  • Open Theme – Martin Phipps. Original Soundtrack “North and South” (2004)
  • Northbound Train Martin Phipps. Original Soundtrack “North and South” (2004)
  • Milton – Martin Phipps. Original Soundtrack “North and South” (2004)
  • Factory – Martin Phipps. Original Soundtrack “North and South” (2004)
  • Margaret – Martin Phipps. Original Soundtrack “North and South” (2004)
  • Proposal Rejection – Martin Phipps. Original Soundtrack “North and South” (2004)

Deixe seus comentários aqui pra gente. Sempre que acabamos de gravar, lembramos de algo mais que poderia ser dito, logo o tema sempre fica em aberto.

Podcast:

00:00:27 Apresentação
00:02:22 Elizabeth Gaskell e o Norte e Sul
01:06:00 As adaptações
01:19:55 Indicações e encerramento

North and South (1975) https://www.imdb.com/title/tt0228651/
North and South (2004) https://www.imdb.com/title/tt0417349/

2 thoughts on “#30: Norte e Sul de Elizabeth Gaskell

  1. Washington Araújo

    A concepção do podcast é genial!! Algumas pequenas coisas poseriam ser melhoradas para termos uma boa experiência auditivo-literária, são elas:
    1) usa-se muito o “assim”, quase todas as frases da apresentadura ou conecam ou terminam com o “assim”, tornando muitas vezes bem irritante a audição. Sugestão: escutem, por exemplo, o episódio “São Bernardo” e tentem contar quantas vezes o vocábulo ASSIM é pronunciado. Pareceu-me vício de linguagem como o “né?”. Pensem nisso. Ou cibsiderem editar depois de gravar elimibando 60% dos “assim”…
    2) Devia existir roteiro pré-definido para a conversa com o convidado. Anotar os pontos básicos de obra sob comentário ajudaria bem. Evitar confusão se a obra é póstuma ao autor é fundamental pois passa a sensação de legitimidade de fala.
    3) Música quando falada não deveria fuxar como trilha permanente, só usem instrumental, seja ela clássica ou até da mpb. O ouvido precisa focar na conversa e não no cantor ao fundo. No episódio “São Bernardo” Caetano é muito repetitivo com a música ASA BRANCA, no inicio soa bem, depois torna-se irritante.
    Bem, é isso e esisro ter ajudado.
    Parabéns pelo ótimo produto cultural que nos apresentam.
    Washington Araújo

    1. Lívia Torquetti

      Oi Washington, que bom que gostou e obrigado pelo comentário!

      A gente costuma sempre comentar nos episódios que a intenção do podcast nunca foi de legitimar um certo tipo de fala, na verdade é um papo informal em que vamos construindo uma narrativa. Existe um pré-roteiro apenas para nortear a discussão ele não necessariamente é seguido à risca, justamente porque a coisa precisa continuar sendo espontânea: duas pessoas conversando sobre literatura tomando um chá. Partimos do pressuposto de que a literatura é para qq tipo de leitor que se dispôs a ler determinado tipo de livro, como temos vivências diferentes, as leituras vão ser diferentes e é isso que prezamos no podcast. Nunca chegamos para a nossa conversa com conclusões mas sim, mais perguntas rsrs.
      Sobre a trilha de fundo de fato, é algo que já pensamos muitas vezes em melhorar, se já tiver ouvido outros episódios, perceberá que estamos usando música isntrumental justamente para não causar o incômodo que te causou.

      Mas é isso, espero que continue ouvindo nosso bate-papo!

      Abraço

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *